quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Viagem.


Eu te desejo tanto, eu almejo você demais, choro por você, te vejo em tudo, fico inerte perante sua presença, atônito com sua áurea, mas é claro, você nem me nota, não me olha, sou pouco para você.
Sigo meu caminho, esses sentimentos se tornaram um fardo, de um lado a solidão, de outro a raiva, acrescentando tem um pouco de mágoa, mas o que pesa mesmo é o amor. Esse grande peso dele me sufoca, meus caminhos são tortuosos, árduos, quentes, frios, porém não consigo me livrar de sua carga, não encontro um lugar para descarregar, e se torna muito sofrido ter que seguir essa estrada sem volta.
Vejo seu número no telefone, mas não tenho coragem para ligar, encontro você em várias ocasiões e situações, contudo me escondo para não conversar, você me intimida, me prende em um beco sem saída, seu calor me queima, me domina, então evito você para que não haja problemas.
Eu te encontro, você sorri para mim, vem em minha direção e me envolve com seus braços, me contém com um simples olhar, me abraça com força avassaladora e me beija com carinho e paixão ardente... “pensamentos voam longe e contigo faço essa viagem”, simplesmente uma viagem, nos meus sonhos, nos meus sentimentos, nos meus pensamentos.

Heliaz dos Santos Shauon.

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Aprendiz da Falsidade.


Sério, seu ego está inflamado, seu veneno pinga lentamente, suas veias realçam sua ferocidade.
O monstro que vive enjaulado em você foi liberto, você ocultou de muitos, mostrou para poucos, mas agora todos sabem que espécie de pessoa é você.
A culpa não é minha se descobriram a sua verdadeira face, eu nunca disse nada, prefiro justiça a vingança, e a justiça aconteceu simplesmente, a máscara foi por terra, ou você foi tão ingênuo em achar que enganaria para sempre? Parecia tão perspicaz e astuto, porém no fim a verdade prevaleceu, ela sempre prevalece, você só usa o tempo a seu favor, todavia ele não é uma coisa tão controlável e sempre foge do seu controle no final.
Sabe, eu tenho pena de você, pena por você ser uma pessoa tão baixa, pena por você não ser você mesmo, pra você é doloroso se auto-afirmar, o seu passado é marcado por cortes feitos a sua mão.
A falsidade é algo compensador no começo, como já disse, ela é totalmente alicerçada em mentiras, e estas te da a falsa percepção de si mesmo, acho que o medo de se enxergar defeituoso, o pavor do espelho, faz com que ela seja sua arma. O grande é você, o perfeito está em você, o tudo é você, quanta ilusão, que mente pobre, ao invés de saber lidar e trabalhar nos defeitos para sempre melhorá-los, prefere fazer uma ponte entre você e alguém inexistente, mas a ponte sempre cairá, não há como se firmar no nada, e pior, como ela vai se estabilizar em alguma coisa podre como você?
Traição, ódio, vingança e falsidade, esses são seus amigos, todavia você esqueceu algo, eles são como você, astutos e traiçoeiros e te envolveu direitinho na armadilha que você tanto executou.
Seu direito agora é aceitar o que você mesmo fez e agarrar a chance de ter uma honra, no estímulo de viver com prazer e não de ter prazer para viver, as mentiras são passado, contudo seu futuro tem como juiz a verdade e o advogado a falsidade, basta decidir arcar com a justiça e se libertar ou viver na prisão, cumprir pena e resgatar o amor ou continuar como está e viver com o verdadeiro castigo: ser odiado por quem um dia te amou.

Heliaz dos Santos Shauon.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Cheiro de realidade.




Vivência de uma vida incerta, de um mal-estar em cima de coisas que dizem ser “boas”, o contrário do certo que é visto com olhos do bom caráter e conduta adequada.
Junta palavras jogadas ao vento e monta uma frase sem nexo, pessoas aplaudem e vibram com sua futilidade, a fama usurpa o talento, o cérebro diminui em decorrência da ignorância.
Sua conversa se resume em três palavras, palavras frias e de índole duvidosa, você é sujo, suas falas são trevas, seu jeito é mesquinho e sua alma maltrapilha.
Qual a importância de ser uma pessoa aclamada, quando a sua maioria não raciocina? Alienação hoje em dia é fácil, difícil é conquistar com seu pensamento sem impor nada a ninguém.
Sua auto-estima é frágil, grande em orgulho, pequeno em valor, seu ser só é autista e cego, se isso é auto-estima, então me perdoe, não temos a mesma opinião.
Sou o único que disse a você o que é certo, você tem consciência disso, pude ler em seu rosto e ver em seus olhos, não quero te maltratar nem te julgar, porém você não é maduro para entender que certas coisas são naturais, movidas pelo grande destino, esse tempo incógnito que independe de ficção das horas humanas.
Vá em frente, sinta o poder da glória a te alcançar, todavia no fim o fracasso é que te espera, faça algo memorável e não agradável, o grande destino aguarda coisas grandes , mas o destino quem faz é você próprio.

Heliaz dos Santos Shauon.

Tristezas.


Nem sempre podemos conquistar o que queremos, nem sempre a verdadeira imagem nossa é passada, nem sempre vivemos aquilo que falamos ser.
Sei que há uma coisa certa incertamente, o meu amor por você é puro e sincero, porém a imagem que se passa é totalmente contrária da que eu queria que fosse afinal.
Nem sempre me expresso bem, quase nunca falo as coisas no seu devido tempo, às vezes adianto outras atraso, só sei que esse é o meu jeito, e segurança tenho que ninguém me compreende, logo estarei sozinho, em busca de uma pessoa inexistente.
Você é um ser digno de todo o meu afeto e do amor alheio, sei que não sou honrado de ter sua presença ao meu lado, talvez eu não seja de ninguém, uma sobra que usam e abusam sem querer compromisso.
Não sou vítima de nada, não me queixo do que passo, só sou sincero e tristeza é o que sobra no meu interior, a tristeza de perder um grande amor, tristeza de não ter entendido, tristeza de não ter ouvido, tristeza de não ter te amado como você merecia.

Heliaz dos Santos Shauon.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Julgamento com base na visão alienada.


Antes de julgar olhe para você, perceba que a sua conduta é frágil demais, veja que o que você espera de si mesmo é mais do que obterá realmente.
Nesse enigma são quebrados corações, são tiradas esperanças, são desencorajados os desejos, já parou pra pensar que você é nada mais do que um assassino de almas?
A alma é um figurativo, uma junção de desejos, sentimentos, cores, sons e personalidade. Equilíbrio frágil. Pode ser comparada a um simples copo de cristal ou a uma corda bamba, e sua palavra pode ser o movimento em falso que levará ao chão, que quebrará a essência do frágil estado surrealista.
Analise, busque, entenda, ouça, reflita. Todos têm o poder de enxergar tudo diferente, de inovar e renovar, de sentir em uma intensidade distinguida.
Um dos meus ideais, dos meus pensamentos ao qual tenho dado crédito, que acho de suma importância pra você e pra mim é, divulgue suas idéias para que outras pessoas reflitam, argumente, busquem saber mais, não tente alienar ninguém, você irá conseguir facilmente, o verdadeiro heroi é aquele que sabe ouvir, que entende mesmo tendo para si sua realidade, sabe separar o seu dos demais. Não julgue, apenas tente entender, reflita sobre tudo e no final viva sua conclusão, desfrute de sua própria realidade e saiba admirar a visão alheia sobre tudo, mesmo não concordando, pois o que é seu estará sempre com você, mesmo se você abandonar no que realmente acredita.

Heliaz dos Santos Shauon.

sábado, 4 de dezembro de 2010

Críticas.


Por que é tão fácil me criticar? Estou na beira da depressão, estou tão amargurado e tudo que ouço são críticas, você ainda quer a minha amizade?
Eu ainda tenho que concordar com você, eu sempre sou o mal, você a vítima, será que você não entende que preciso cuidar de mim? Não tenho tempo pra você.
Você nunca viveu um dia meu, por isso é tão fácil me descrever, por isso é prazeroso me difamar e dizer o quanto sou nervoso.
Hoje estou assim, amanhã você estará, isso é bem certo, você ainda sentirá o que eu sinto, aí sim vai saber o que eu sempre passo, espero então estar bem perto, para te ajudar, aguardando ouvir, “agora o compreendo”, “vejo o quanto te machuquei”, “percebo como te magoei”, contudo isso é improvável, pois seu orgulho é mais alto do que a compreensão, seu ego é mais enlevado em comparação a simplicidade, seu senso de vítima é mais forte do que sua visão sentimental.

Heliaz dos Santos Shauon.

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Bandeira branca.



Você não sabe o quanto me fere com suas palavras, o quanto me ofende com o que fala.
Suas atitudes não são mais as mesmas, o seu amor não sinto mais, a sua mão não me segura, o seu corpo não me esquenta.
É triste ver que você se distanciou de mim, é horrível ser julgado por você por coisas que não fiz, eu tento tanto ser quem você quer, mas a perfeição é o seu almejo, me perdoe, não sou perfeito.
Trocou-me por pessoas que não te valoriza, ignorou meu amor, não cede seu tempo para me ouvir, mas ocupa ele para me criticar, me esnoba, antes era eu seu orgulho, agora não passo de lixo, antes era exemplo, agora não sou padrão.
Eu te amo, contudo minha raiva esconde esse sentimento, como posso ficar com ele ainda vivo se o seu amor não me corresponde? É tão ultrajante que os vínculos tão íntimos que temos sejam quebrados, queria que se apaziguasse tudo, mas a bandeira branca ainda não surgiu no horizonte.

Heliaz dos Santos Shauon.

Uma causa nobre, defendida erroneamente.


Pensando, pensando muito, resolvi dizer o que não queria, mas me sinto obrigado a pronunciar sobre esse assunto.
Gays, lésbicas, homossexuais em si, o que vem a sua cabeça quando se ouve essas palavras? Claro, você há de concordar, que surgem frases do tipo “que nojo”, “isso é inaceitável”, “abominação”, “Deus repudia essa prática” e a campeã de todas “eles são promíscuos, um bando de sem noção que busca se aparecer...”, essa é com certeza a imagem que você tem dos homossexuais.
Chegamos a uma era em que a diversidade se mostra, ela está presente em qualquer lugar que se vá e não se limita por religião ou política, ela é uma parte do ser humano. Todavia aparecem alguns gays, que pode ter boas intenções para defender esta causa, mas não tem conteúdo para sustentar um diálogo e também há aqueles que amam aparecer e usam dessa situação para causar polêmica, acham que estão arrasando mostrando as partes de seu corpo, falando besteira e ridicularizando a si próprio. Eles não vêem que estão sendo piadas para tantas pessoas, sendo humilhados, contudo o que importa é entrar em foco, não importa o jeito.
Aí acontece aquela “mobilização” em que o Brasil é recorde de espectadores, a Parada Gay, que parece mais carnaval do que reinvidicação de direitos, onde tudo é liberado, tudo é lícito, eu não tenho nada contra a Parada, muito pelo contrário, acho muito dez e vou para me divertir, está na hora das pessoas decidirem se é uma festa ou uma manifestação, pois as duas com certeza não é, manifestação é coisa séria, é enfrentar líderes e protestar a favor de seus direitos.
Quando vejo alguma figura gay reclamando, dizendo que quer respeito e afins eu penso, por que você primeiramente não se respeita? Por que ao invés de se ridicularizar e querer aparecer não defende de verdade a sua causa, abrace-a verdadeiramente e não se contente com risinhos e aplausos.
A homossexualidade não é uma doença, muito menos problemas espirituais, ela é como a heterossexualidade, não se escolhe, apenas nasce com ela.
Se você heterossexual ler este texto, olhe para dentro de você, isso é um apelo, olhe lá no fundo, relembre quando você foi humilhado por qualquer motivo, veja como é doloroso enfrentar isso, o que você passou algumas vezes os gays passa todos os dias, ainda mais por algo que eles não escolheram.
Você homossexual, está amando o quanto é ridicularizado? Você sabe que a cada dia é um transtorno, um fardo a qual carregar, mais piadinhas, mais gracejos.
O meu conselho vai para todos, você cidadão, antes de defender a sua causa defenda seus valores acima de tudo, pois sem eles, sem o caráter, não temos motivo digno a qual defender, não temos moral para erguer uma bandeira em nossa proteção, não teremos nem força sobre o julgamento que será feito sobre a nossa integridade.

Heliaz dos Santos Shauon.

O impossível é te encontrar.




Sou os dois lados da moeda, sou o ponto crucial e o pó do universo, a vida por um sopro e a evolução, a frase curta e o texto elaborado, o antigo e o novo.
Na controvérsia encontro-me, no oposto sinto paz, audácia, sensação. Respiro as letras, tomo suas palavras, agarro-me em seus gestos, vivo os teus sonhos.
Minhas configurações são infinitas, imprevisível sempre. Não me defina, eu sou quem você pensa, mas não sou o que você sente. Estes emaranhados de cordas invisíveis me puxam a você, a qualquer lugar, a qualquer tempo, a qualquer estado.
Ouviu-me, contudo não entendeu, julgou-me, todavia se enganou, não sou para ser descoberto, sou simplesmente para ser achado, esse que anda ao seu lado sou eu, esse que vive no seu pensamento sou eu, esse que está em seu sonho é minha pessoa, contudo sou mais, existo na contestação, vivo sobre questões, penso além do que as pessoas pensam, não sinto medo em arriscar, entretanto a falta de um amor me impede de avançar, de prosseguir, nesse vai e vem o impossível é te encontrar.

Heliaz dos Santos Shauon.

sábado, 27 de novembro de 2010

A Guerra dos Clãs Secretos.

Sinopse

“A vida não é dividida entre bem e mal, mas em crença, acreditar em ideais diferentes causa a inimizade, mas lute pelo que você acha certo, pois no fim a vitória está na persistência e a verdade imortaliza-se naquilo pelo qual se lutou.”

Lor, Líder do Clã das Sombras.

Na cidade de Prona, ao norte de Labradina, acontece uma das mais interessantes história deste lugar. A determinação de dois Clãs em ter seus princípios preservados por séculos é grande, mas um desses está ameaçado, o Clã das Sombras enfrenta uma dura queda de seus integrantes, os Luminosos nas últimas décadas vieram derrubando vários deles, e a única esperança que o grupo tem é depositada em seu mestre, Lor, um dos manges, grupo de pessoas que dominam a força invisível, para alcançar o que por séculos fora almejado, o portal das dimensões. Porém há uma carta a ser considerada, uma última jogada que prometerá algo ainda maior.

Um Romance que vai te prender do início ao fim, é do tipo de livro em que a monotonia não é considerada.

“A compreensão do universo é mais do que desejos, vai além da vontade particular, mas está na verdade única que mantém o que chamamos de equilíbrio”.

Baatur, Líder dos Luminosos.

Heliaz dos Santos Shauon.

domingo, 21 de novembro de 2010

Amor Proibido na Remota Idade Média.

clique na imagem para aumentá-la.


Prefácio

Em um dia frio tudo terminara, aquela neve me cobria, as lágrimas se não cessaram haviam congelado.

A luz do Sol fraco entrava entre as frestas da cela, mas não derretia aquele cobertor branco que jazia sobre mim. De repente sinto algo me puxar, na verdade eu não sentia, meu corpo só avisava bem distante que alguém me puxava, pois o espírito havia se distanciado em busca de refúlgio.

Quando dou conta do que meu corpo falava, me via de quatro, em cima de uma madeira grossa e redonda, e sem delongas o soldado investe contra minhas costas com um chicote. Em sã consciência eu sentiria uma dor absurda, pois onde era arremessada aquela corda de borracha e ferro abria-se em grandes cortes no meu dorso , escorria sangue, que pingava e se destacava na alva neve. Mas estava longe demais para dar crédito à carne, eu sentia que algo além da compreensão fora retirado de mim, nada servia mais nesse plano mundano, de nada adiantava viver.

Ao longe ouvia gargalhadas e insultos, calculei que estava em praça pública. Experimentava em meu rosto sensações de pequenos choques e quando forcei minha visão vi um menininho louro que cuspia em meu rosto e me dava socos, essa era a causa de tanto estardalhaço.

Logo tudo escureceu, vi o deslumbre de alguém alto vindo em minha direção, houve um choque maior seguido de paz, mas o martírio apenas começara.

Heliaz dos Santos Shauon.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Sob pressão.


Essa pressão sob mim é afótica, a cobrança de uma pessoa melhor, não por mim, mas pelos outros, é insuportável.
Eu estou satisfeito com o que vivo, porém só eu, ninguém mais. Eu sei que devo dar vazão ao que penso, todavia é complicado conviver com pessoas que desejam sua mudança, que quer sua vida trocada como passe de mágica, que não aceita você de verdade.
Eu tentei me enganar e enganar ao meu redor, a segunda tarefa era fácil, contudo a primeira é impossível. Meu ser rejeitava um implante de personalidade, não coibia duas personalidades opostas sem atritos.
Claro que toda transformação, ou tentativa frustrada de mudança, deixa sequelas e no meu caso não foi diferente, minha alma se machucava a cada dia que tentava ver o mundo diferente do que ele é, era horrível contar “verdades” e inventar mentiras para mim, dando um jeitinho de misturar a água e o óleo.
Saindo enfim dessa situação dei um basta, mas ainda as pessoas não se convenceram que aquele outro era só uma produção fajuta do que tenho a oferecer agora, pessoas íntimas ainda não conhecem o meu verdadeiro EU e acho que não estão a fim de conhecer, afinal, ainda vivem com a mentira e enquanto não aceitar quem eles são não estarão aptos a me ver realmente, e eu estarei à mercê de suas falas opinantes.

Heliaz dos Santos Shauon.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Coração deslembrado.


Onde estão as pessoas que me apóiam? Onde estão as pessoas que me consideram? Onde estão aqueles que me amam? Onde estão aqueles que outrora eu abri os braços e os carreguei? Sinto saudade de todos, sinto falta em particular de cada um, mas o que fazer com quem te esnoba, com quem te esqueceu ou com quem nem ele é?
Você sumiu , por que foi injusto? Sabe que eu sempre precisei de você, porém não ligou e periodicamente se afastou. Dei-te provas de um sentimento puro, o estimei e elevei você a um patamar recorde na minha vida, mas você se foi, você e uma multidão em que me apeguei, onde estão vocês?
Risos, falas, gestos, dilemas, sentimentos, palavras, músicas, olhares, sensações, momentos, lugares, seres, onde estão? Cadê meu passado, onde estão minhas memórias?
Elas estão em outra dimensão. Elas estão ocupadas. Outros preencheram o meu espaço em seus corações. Elas não notaram, mas ainda seguem o que eu disse um dia.
A amizade de vidro se quebrou, a super frágil, e com isso os sentimentos em forma de líquido se esvaíram, evaporou com o sol do esquecimento, e se desfez com a brisa da ignorância, e minha imagem se foi, primeiro do seu pensamento, segundo de sua alma e depois de seu coração.

Heliaz dos Santos Shauon.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Desejo nocivo.


Sua vida se escondeu de mim, se embrenhou entre o desespero da solidão. Não há improvável, é tudo desilusão de um existir de querer. Expressões me fogem da mente e minha boa rotina se perde pelo seu veneno que injetado foi no coração da min’alma, pois o plano físico está sendo afetado pelo efeito colateral dessa droga, seus lábios são nocivos à saúde e eu desinformado e encantado com o proibido caí na armadilha, e estou agora debilitado.
Meu corpo adormece, a visão se torna escura, o vazio está em mim, está ao meu redor, está no todo. Meu corpo é uma continuação infinita da obscuridade que me cerca, somos unos e ao mesmo tempo duas coisas distintas.
Nesse devaneio negro, sigo em busca do despertar, procuro o antídoto que está no mesmo lugar em que o veneno fora injetado, seus lábios, esse mal só passa à hora em que minha boca oscular a sua, deposito minha fé nesse sonho, pois ainda mal não fiquei e a oportunidade de você me salvar de algo que não me afeta são basicamente nulas.

Heliaz dos Santos Shauon.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Viva as diferenças


Neste mundo vasto de culturas e etnias é ultrajante as pessoas ridicularizar outras diferentes esteticamente e culturalmente.
Isto mostra o quanto todos pregam os direitos humanos, buscam recursos e benefícios, mas a maioria não sabe conviver com a diferença. Horrível ridicularizar um indivíduo em prol do bem estar de outros, satisfazendo seu senso de humor sem um pingo de auto-visão.
Vários ditos-cujos se envaidecem por estarem em um padrão de beleza e social ideal, porém saiba você que cada um é ser humano, com sentimentos e frustrações, não é porque vivemos em uma democracia que podemos manifestar todas as nossas opiniões, o mesmo direito que você tem de falar a outra pessoa tem de não ouvir.
As feridas causadas por ações ou palavras maldosas marcam mais do que agressões físicas, isso já é manjado, eu sei que cada um que ler este texto tem um fato para contar sobre uma coisa que machucou seu eu interior, pode ser a pessoa mais segura, o tipo mais lindo, alguma hora algo não agradou quando se ouviu. É pensando nisso que venho em prol da classe minoritária dos diferentes, aqueles que você nunca deu bola, saiba que dentro deles vive uma pessoa bela, alguém que sabe ver o mundo diferente, alguém que saiba amar infinitamente, alguém que saiba perdoar incondicionalmente, alguém que provavelmente você tenta ser, mas seu ego o impede de ser bonito realmente.

Heliaz dos Santos Shauon.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

A noite.


Como é belo o seu céu,
A via láctea, seu véu,
O leite derramado pelos deuses,
Para iluminar o negrume,
Que outrora era azul, pontas de rosas e pingos de verdes.

As estrelas seu esplendor,
A Lua sua amante,
Que traiu o seu Sol,
E vem o enganando,
Em um tempo constante.

A Noite,
Óh a Noite,
que lembranças me trás,
Meu desejo é ir contigo,
Abandonar este mundo fugaz.

Ao seu encalço correrei,
Em sua busca eu irei,
Abandonar-te jamais,
Uma vez que te perdi,
Não a perderei nunca mais!

Heliaz dos Santos Shauon.

Você prefere a verdade?


A sinceridade. Que felicidade em partilhar com ela minhas frases, minhas falas, meus devaneios. O mundo hoje em dia pede-a tanto, chama pelo seu nome, mas quando ela chega é negada, a porta é batida em sua cara.
Claro que tudo isso não passa de linguagem figurada, porém eu não entendo o almejo das pessoas em serem tratadas com a sinceridade, eu me sinto culpado por usá-la, pois o óbvio que trato com rigor em mostrar, mas com a pauta necessária, é negado, a sociedade vive em cima de ilusões, vive em um torpor de fingimento e com o contentamento da enganação, é incrível isso.
É tamanha a hipocrisia das pessoas que pregam a simples verdade e preferem a mentira enfeitada, põe em palavras o que em prática não é feito e mentem de novo quando se dizem sinceros, gigante a bola de neve.
Eu sei que a verdade dói, convivo com tantas delas, eu assumo sim que me agradaria viver na mentira, por mais que seja ruim e pode desmoronar a qualquer momento, a mentira da aquela sensação de “tudo posso, tudo sou”, é feito um mundo nosso, paralelo ao que vivemos, com regalias a mil metros. Contudo a verdade é a satisfação simples, o jeitinho de encaixar certo, a ferida a ser curada, é a realidade comum a todos, mas que a maioria prefere dar as costas.
A verdade é para os fracos, porém que são compensados a todo o momento, é para os de confiança, é para os humildes que evitam grandes tombos de exaltados, que caem de grandes alturas.
A dádiva do ser humano é cumprir sua natureza, acho que não há nada de errado em sonhar, mas antes de construir mansões em sonhos, fracos como palha, melhor crescer de pouco em pouco com um casebre, aprender a lidar com a razão da vida e conhecer a única forma de se viver sem usurpar a liberdade de outro.

Heliaz dos Santos Shauon.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Não te sinto.


Não se justifique. Peço que não faça isso, você só usa argumentos distorcidos e não tem sua opinião, se esconde sob teorias, onde está sua cara? Cadê você de verdade? Você julga estar do meu lado, diz que quer meu bem, mas eu não sinto nada disso. Você me ignora, não tem verdades para mim, não me ouve. Tento te apoiar, mostro o quanto me esforço para estar ao seu lado, porém nada disso importa pra você.
Nessas situações meu orgulho não existe, não sei virar as costas, sou simples e rejeito todo seu desprezo e em troca te dou a atenção. Não quero que pense que sou dramático, isso só são sentimentos eclodindo em palavras. Como já disse e repito agora, talvez por eu amar as pessoas e não verem que elas me amem eu fico assim. Sabe a real decifração do amor, o real valor que ele tem? Ele é a forma mais linda de enxergar alguém, a atenção vem como bônus e o apreço de brinde é dado, esse é o amor, simples gostar não chega ao seu plano de visão.
A intensidade sua é limitada e a frieza e o racional sempre é posto como barreira entre mim e você, compreender em palavras não é como sentir em palavras, mera escrita mexe, contudo o júbilo de conhecer o amor de verdade, é uma dádiva incrível, inexplicável, uma raridade em tempos de hoje e como prova o nosso relacionamento que com palavras é sentido, todavia com gestos é apagado.

Heliaz dos Santos Shauon.

sábado, 16 de outubro de 2010

A jovem injustiça (conto).


Naquela tarde ensolarada, onde a força do Sol teimava em adormecer, laçados eram dois jovens no ato simbólico do casamento.

Na noite de núpcias o coração da moça batia acelerado, sonhara com aquele momento a vida toda, uma mistura de curiosidade, paixão e medo era derramada sobre seu espírito. Abriu a porta e o que encontrou foi, digamos, inesperado, seu amante esperado estava aos roncos, aquela fria recepção aborreceu-a e ela deitou em sua cama inconformada. E assim foram-se os dias, semanas, meses. Ela insistia, persistia, mas era mais que notável que seu esposo não queria a aproximação carnal, ele dizia que o sentimento que os unia devia ser suficiente para os dois.

A frustração cresceu, cresceu, a ponto dela chegar ao extremo, levando o seu parceiro ao mais ridículo, o ponto mais humilhante que um homem pode passar, difamou-o e espalhou a todos que seu marido era efeminado, uma aberração. Na luta contra o preconceito a arma do rapaz foi o silêncio, não se pronunciou, não se defendeu, continuou com a caluniadora a julgá-lo.

A rendição aconteceu numa mesma tarde, igual a do matrimônio. Jazia no chão de pedra, em frente ao grande casarão onde morava o casal, o jovem homem, sangue escorria de seu nariz e boca e em sua mão esquerda, preso a aliança, estava um papel. Quando chegou da casa de seus pais, onde ela fora encontrar apoio, deparou-se com a cena de horror e seu olhar caiu diretamente no papel que dizia:

“Amo-te, em meus sonhos você era a pessoa que queria que fosse, que sempre sonhei que fosse, meu amor queria completar-se na forma carnal, meu corpo sempre quis se unir ao seu, mas reconheço que o amor que sentia era mais do que isso e pude ver que o seu sentimento não passava de uma paixão de adolescente. Antes de tudo saiba que o autor de tudo isso fora seu pai, sou aquele por quem ninguém nunca deu nada, aquele mísero mendigo de rua, em seu desespero o barão me fez um cavalheiro, ele já sabia dos meus sentimentos por intermédio de terceiros e aproveitou a chance para cumprir quais seja seus planos”.

“Havia um preço a qual eu deveria pagar, pois na vida nada se ganha, tudo se paga, e a promessa que ele me fez cumprir a todo custo, por Deus, foi preservá-la imaculada, não devia tocá-la, não deveria amá-la como homem, e assim fiz, pois sou sincero e prefiro morrer com a minha sinceridade, de nada importa integridade, pois nunca fui íntegro, porém você merece a verdade, e meu espírito abandona o seu provando pelo menos que meu amor ultrapassava a concupiscência e que entrava no campo espiritual”.

“Sinceramente, apesar de tudo, você sempre fora meu único, lindo, magnânimo e imaculado amor”.

O desespero, a culpa, o rancor tomou conta da alma daquela jovem, seus devaneios tornaram-se sombrios e sua busca por justiça havia começado.

Houve, conforme de costume, o velório e entes queridos fizeram-se presentes no momento amargo que se anunciou. Logo outra tragédia se formulou, o pai da “justiceira” passara mal dormindo, e seu fim naquela madrugada triste fora a morte. Logo se soube, pela jovem, que ela era autora do crime hediondo, envenenando a bebida do patriarca, todos se encheram de susto, exasperados alguns não tiveram reações, outros choraram, outros raivosos reagiram à atitude da moça, mas foi a mãe dela que deu a surpresa. Em sua mão encontrava-se outra carta com a seguinte mensagem:

“Nunca quis a torná-la infeliz minha filha, visei somente o seu bem-estar perante a sociedade e a seu esposo, nunca o desconsiderei por ser mendigo, mas incumbi a ele tal missão tendo total crença que ele realizaria com êxito, pois o amor dele, pude ver, era puro e grande”.

“Meus motivos serão explicados. Minha filha, você não é mais virgem, um irmão meu há muito tempo viera nos visitar, sua idade exata era de dois anos. Não sabia, contudo sua face escondia o monstro que vivia em seu interior, e ele se revelou durante a sua estadia em nossa casa, violentando você e retirando o selo sagrado, que Deus pôs para torná-la imaculada. Eu e sua mãe tememos por tempos o seu casamento, tínhamos medo do que se revelaria quando soubessem que você não era virgem, a humilhação que você passaria. Graças aos céus este moço se anunciou e logo tratei de concertar do modo que eu via mais jeitoso o que estragado fora no passado’.

“Sei que sou um covarde, principalmente por me pronunciar tardiamente, não podendo evitar tamanha tragédia e mais covarde ainda de não conseguir me dirigir a você, pois consigo sentir seu ódio”.

“Perdoe-me minha filha, espero que um dia entenda que fiz tudo isso, mesmo que erroneamente, visando somente seu bem, pois a amo com o mais profundo amor”.

Tamanha foi a depressão da jovem, o horror que percorreu daí em diante em suas veias foi inevitável, o preço a ser pago pela tamanha injustiça. Esta moça ainda vive, está aí, em qualquer canto, está em você, está em mim, ela é o julgamento que você faz todo dia das pessoas, e a obstrução das chances de aproximação de similares, o rancor que você guarda, o ódio que você sente, o poder de não perdoar a você concedido, a luxúria da superioridade que o domina, as trevas, o abismo, a análise prévia dos semelhantes sem base,sem um pingo de solidariedade, sem o mínimo de amor.

Heliaz dos Santos Shauon.

Em busca do único.


Sigo nesta busca ambulante procurando um ser andante que me faça feliz. Não sei quem é nem posso dizer como é, penso só que existe, uma forma de confortar-me. Sou atraído por olhares onde a mutualidade chama atenção, mas não passa de paixão, o desejo carnal. Busco algo infindo, o amor divino que me fará bem. Focado estou não em estereótipos, quero alguém que equivale a mim em originalidade, um ser único de caráter personificado, de uma opinião crítica e sem conformismo.
Não julgo pessoas alheias por serem iguais, só penso que elas não são felizes em não viver a verdadeira identidade do Eu que diariamente é sufocado e desfalecido aos poucos. Seus olhares robóticos me transpassam e penso: “onde vivo? Sou eu tão errado em pregar o individualismo?” Vejo a mentira nesses olhares, nesses andares, nesses trejeitos, nessas roupas, nessas vozes. Não me incriminarei pelos pecados da paixão, pode até ser agradável no começo, contudo sua pena é alta e custa caro.
Por isso não busco aquela pessoa linda esteticamente, não procuro poder nem riqueza. Não procuro você ou você é meu ideal? Procuro a pessoa com defeitos, porém singela em assumir que os tem, procuro este indomável amor que voa de mão em mão, que pousa com delicadeza em corações, que me leva até você ou que traz até mim este ser que procuro, quem sabe? O Grande destino fará acontecer!

Heliaz dos Santos Shauon.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

O julgamento.


Nossa como te amo, por favor não pense que este amor não vale, eu sei que somos diferentes dos alheios e é aí que está o belo, apesar do aprovado não temos aprovação, nos amamos pelo que somos e não pelo que acham que somos.
A limitação da sua incerteza me incomoda, as provas estão como águas cristalinas, sentimentos fluem em mim, todavia a sua indecisão me assusta. Sento ao lado do fim e este me abraça, furta a minha esperança, leva a minha confiança e retira a minha atitude.
Talvez meu amor não seja capaz de alcançar sua razão, ou quem sabe o sofrimento te assuste, ainda não sei, mas o completar está em nós e basta aceitar a encaixar.
O elo é maior que a barreira, a união fortalecida fica perante a solidão, se tudo encontra um final por que este não pode ser a junção do eu em você? Só sei que a solidão do fim me tirou quase tudo o que de bom cultivei, mas o poder de destruir o sentimento maior está na sua insegurança, a juíza mor do réu que inocente se anuncia o AMOR.

Heliaz dos Santos Shauon.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Um texto sincero.


Minha obrigação não é agradar a ninguém, se tenho algum prodígio (o que duvido muito) não são para ser admirados.
Não quero pessoas ao meu redor que se sensibilizem com minha dor, do que preciso é ajuda para poder caminhar, é de um ombro amigo.
Ser amigo com certeza não é ser colega, ser amigo é mais que uma pessoa sem espírito possa entender. É cultivar amizades, é tentar mantê-las com afeto, com atenção, com o amor.
A ignorância é o maior mal do homem, podemos aprender uns com os outros, mas a inquestionável maneira do homem julgar quem é mais fraco e mais forte leva-o a perecer.
Na vida aguentamos tudo, mas em particularidade odeio o costume das pessoas terem uma queda pelo lado sombrio da falsidade, eu tento ser verdadeiro com as pessoas, em meus textos tento passar o que sinto (Raquel, uma amiga que sempre me apóia, muito obrigado), tento transmitir meus sentimentos para eles, sendo sincero, sendo eu mesmo.
Na minha inocência de acreditar em pessoas erradas parti corações de outras que só queriam meu bem, por isso peço perdão a quem magoei e afirmar que errei, esperando compreensão, certo de que reflitam que somos falhos, que não passamos de seres-humanos frágeis.
Quero terminar com um texto: A solidão nada mais é que você acompanhado de "amigos" que julgava ser próximo, que esperava o retorno do amor que sentia por eles, mas, em sua inocência cega, não pode ver que só queriam calamidades, só rogavam para ti o que não prestava. A solidão não é um estado sem companhia, o que todo mundo acredita ser, ela é a dor de se sentir desamparado, é o medo do escuro, é a tristeza de um fim, é a esperança de um recomeço sem erros...

Heliaz dos Santos Shauon.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Inocência de amar.


Que saudade do tempo em que se faziam amigos de verdade, onde éramos felizes com simples passeios, roupas normais e sem a pressão do tempo.
Ninguém mais se preocupa com amizades, muita ocupação para outros sentimentos, outros desejos, e tudo o que se vive sem interesse, todo amor inocente cultivado se quebra e se torna indiferente perante amores promíscuos. O ruim dessas situações é que um sempre se machuca, aquele mais fraco que pensava ter alguém que se importava com ele, o mísero que se espelhava no grande amigo.
Antes de dar as costas para um amor antigo compare sentimentos, faça a justiça e meça qual o mais importante, se um não abalará o outro, por que não há sentimento mais anti-humano, porém concedido a nós, desprovido de malícia e interesse que a amizade, ela é angelical e divina, tem o poder de confortar e de unir duas pessoas no mais puro amor.

Heliaz dos Santos Shauon.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Sinceramente é você.


Sinceramente teus olhos me fascinam, sinceramente tua boca me encanta, sinceramente teu sorriso me envolve.
Seu andar me entorpece, sua língua me excita, sua áurea me purifica. Sua boca me engole, o seu corpo me grita, suas mãos me chamam. Os seus gestos eu admiro, seus cabelos tem o perfume ignoto, a sua cor me arrebata e enche minha visão.
Talvez seja paixão, eu acho que é mesmo, que seja! Você é indescritível, o enigma que pretendo descobrir, sou singelo demais, te dou a humildade, um ato generoso já que você me disponibiliza doar-se, o ser grandioso que apareceu perante mim.
Asseguro-te que irei fazer mais que o possível possa abranger, além do que se possa ver para que a sua confiança seja totalmente recompensada.
Sinceramente, você é o destino maior que sempre prego, é o acaso que tem propósito e será futuro equilibrado que sempre esperei.

Heliaz dos Santos Shauon.

domingo, 26 de setembro de 2010

Honra a bandeira!



foto da revolução democrática de 1964.

Mais uma vez a chatice de sempre, horários eleitorais, papéis e panfletos, folders, outdoors, placas, etc. A eleição chegou e com ela a disputa pelo poder, a indecisão dos eleitores e a grande responsabilidade de exercer a democracia.
De novo a jogada de sentimentos, a música marcante de fundo, os bilhões empregados em propaganda. Mas quando vamos buscar saber mais sobre os candidatos ficamos decepcionados por eles não serem o que vimos em seu horário de marketing. Bom se a maioria tivesse interesse real de descobrir em quem estão votando, melhor ainda se fossem atrás para ver seus planos de governos e não só se contentassem com o horário político (que muitos não assistem) e debates um tanto confusos onde o tempo é escasso.
Porém, infelizmente, a realidade é outra, o Brasil tem tudo para ser a futura potência mundial, possui uma grande variedade de culturas fabulosas e a maior floresta do mundo recordista em biodiversidade. Apesar de o ensino ser um tanto fraco ainda conseguimos ver jovens prodígios que fazem a diferença e que por si só poderiam obter um grande futuro, não fosse pela falta de interesse do governo, há aqui também grandes matérias primas, uma enorme quantidade de alimentos também que é de dar inveja a qualquer outra república (ou monarquia em alguns casos). Todavia as autoridades estatais se recusam a exercer a democracia, abstém-se, levando seu próprio país a falecer. Que nacionalidade, essa é a honra a bandeira que nossos líderes têm?
A sociedade tem que parar de acreditar que é uma pessoa que faz tudo, não iludir-se que o poder está nas mãos dos políticos, quem puseram eles lá? Nós, a população. Eles só estão lá para atender as necessidades de seu próprio povo, administrar as riquezas em prol de todos e entender que o poder de decidir o que é melhor é da nação inteira, pararem de se orgulhar por suas obras feitas, isso só é ofícios, mera obrigação, e orgulhar-se pela coisa certa: honrar a vontade unânime creio eu, de levantar o país que toda a nação deseja e espera ter e dar crédito a ela, pois essa sim merece ser louvada pela garra, determinação e coragem, então comecem a cumprir a democracia em si e vejam que este país é o de todos e para todos.

Heliaz dos Santos Shauon.

Enganadora!


Na benevolência do seu ser não encontro a paz que preciso, na gentileza de sua pessoa não encontro conforto, na calma de suas palavras encontro facas cortantes.
Não vejo o que você vê de si mesmo, supero barreiras suas para alcançar alguém que não existe e que sua boca profere, me embrenho entre mentiras em busca da sinceridade. Enxergo mais do que você vê, penso além do real e o contexto do vão adormece entre as sombras do seu ego que exaltado está. No disforme de seu rosto algo mais sombrio escondido encontra-se, as características de sua alma insana são sombrias, o tudo e o nada laçados em um ponto único, pendida você é pela escuridão, negros são seus devaneios.
Quebra as barreiras do natural e o bem e o mal anda contigo, puritana de praxe, prostituta por natureza. Vende-se pelos míseros prazeres, satisfaz sua carne podre, come os escrúpulos e sacia a sede com a vergonha, elimina os velhos costumes e substitui pelo anômalo.
Seu trono banhado por sangue de inocentes, coberta está por peles de iludidos, a glória consumível e insaciável mostra a exato o semblante da megera maior que carrega a auréola enganadora, capitalista dos sonhos, unânime em opiniões embasadas na sua falsidade de língua bifurcada.
Tudo grita, desde sua cabeça aos seus pés, quem de verdade é você, contudo as sílabas de veludos são desatadas lentamente envolvendo e tirando o ar de quem dá ouvidos as suas ilusões hipnóticas. Você não passa do engano maior, do lúcifer em ser humano, da bizarra cruza da serpente com o espírito de porco que sem nada destrói pequenos corações refugiados.
Sugar o amor de alheios na esperança de reconfortar seu espírito, lentidão em produzi-lo faz com que a transfusão seja a força.
Suma e que vá consigo o veneno infernal, lança-te nas estribeiras da vida para que seu destino seja guiado por seu mestre, ausenta-te daqui que o confim sombrio de criaturas asquerosas te espera, assassinos de almas almejam-te, o véu negro será rasgado e a carne podre que por baixo do hábito se encontra devorada será por seus semelhantes.
Você não passa de uma enganadora!

Heliaz dos Santos Shauon.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Nada além do incompreensível.


Envolva-se com o manto da brisa, toque e sinta o frescor e maciez de sua textura, dentro de seu corpo ela transbordará paz e conforto, então a inspire.
Nessa terra que piso agora posso descansar meus pés, maquiagem natural independente da beleza, cor rubra, negra, branca, sem preconceito. O cheiro terroso me fascina, embarca-me em tempos já perdidos, sendo superior a mim ela permite, mísero que sou, ficar acima, generosa em tudo o que faz.
Lambe meu corpo, carinha minha pele, a água inconfundível, o elixir da vida, a razão de nossa existência. Banho-me e de meu corpo é retirado às impurezas de minha alma, a tristeza é engolida e logo sou o leve existir, o renovado ser em um novo estar.
O poder, a renovação, fogo, a descoberta que não existe, pois não se pode descobrir o que eterno é. A ira e o ódio dominam-me quando estou perto da sua excelência devastadora, o belo pouco apreciado, o temor, nós os controladores não conseguimos controlar, digno de respeito, pois sem ele nada se tem, tudo começa e termina na força e na explosão do seu durar.
O equilíbrio do espaço, a exatidão e perfeição do que nos rodeia, a força maior que nos envolve, Éter que para sempre será lembrado, pois a vida sem a exatidão do grande destino nada seria além do incompreensível.

Heliaz dos Santos Shauon.

Modifique-se


Faça da dor sua esperança, faça do medo sua coragem, faça da morte sua força vital.
O rancor que está impregnado reutilize-o, faça dele a vingança de seus antecessores.
O ódio que está enraizado modifique-o para amor a seu povo, recompense-os, vangloria-se.
Não há do que se envergonhar, você só é humano.
Não tire sentimentos do seu coração, eles fazem parte de você, apenas reutilize o que você possui, faça com que tê-los valha à pena.
Os sentimentos são confusos, organize-os, controle-os, domine-os antes que eles te dominem, os use para sua própria proteção, para seu poder, você sabe que isso o agrada, você sabe que o poder é desejável, o poder é almejado por vários, mas obtidos por poucos.
O poder nada mais é ter a posse de algo superior a compreensão da maioria, o poder é ser diferente, o poder é superar, o poder e ter autocontrole, é saber administrar os instintos juntamente com a razão...

Trecho tirado da série Nan, A Destemida, escrita por Heliaz S. Shauon.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Barganha com o destino.


Meus olhos estão assim, vermelhos e úmidos, eles não cessam, é uma nascente da tristeza e da solidão.
No meu passado sombrio estão escondidos tesouros, tão valiosos, tão lindos. Eu os perdi no meu caminho, a minha independência custou caro. Vivo no anseio de reencontrá-los, os procuro como ninguém procurou, mas infelizmente barganhei com o destino e ele me roubou o que era mais precioso, pessoas valiosas, lapidadas pelo criador, que resplandecia o calor humano, que a formosura estava em cada gesto ou sentimento.
Meu coração, já esquecido, está parado, aqueles momentos que vivi se foi, porém ainda estou aqui, crueldade usurpar isso. O amor que tenho ainda não morreu, mas a saudade interfere em minha vida e fisga o resto que resta, sem o amor não sobreviverei, ele mantém vivo todo o meu ser, combustível para que minha vida seja guiada pela esperança, o essencial sentimento para que a fonte de toda amargura seque e que assim a felicidade plena venha brotar, e que transborde a nascente com lágrimas de agradecimentos e alegria, para que estas se tornem doces e que o destino seja fraterno o suficiente para devolver-me o que me fazia feliz, o simples viver em torno de grandiosidades, o singelo refletir doçura e afeto, o lindo gesto de união e a magnitude de conhecer e reconhecer a pessoa especial que em você residia!

Heliaz dos Santos Shauon.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Que entre em foco sua visão!



Eu venho de novo tentando te mostrar as personalidades fortes da atualidade fazendo sua mente, influenciando você sem que perceba.
Engraçado, esses dias eu ouvi em um vídeo dizendo o seguinte: a igreja se “trancou” em seus problemas internos e esqueceu o de sua própria nação. Como se problemas fúteis pudessem ser comparados com o de uma nação, mas mesmo assim eu aconselho a essas pessoas verem os seus defeitos antes de tomarem atitudes.
Eu estou conseguindo ver uma grande união, onde farão calar qualquer cidadão sobre sua verdade ou pensamento. É o cúmulo ter como pensamento restringir direitos de cidadãos diferentes da “grande maioria” e comparar coisas tão absurdas como aborto, tráfico de drogas, com isto. Isso se chama tendencionismo, criminalizar coisas que nem ao menos o cidadão decidiu, com a crueldade de torturar e matar uma vida ou ridicularizar essa situação tornando-a uma coisa horrivelmente ilícita, como tráfico de drogas.
O plano de muitos é alienar você que está lendo este texto, querem tirar a liberdade de semelhantes ou quem sabe a sua mesmo, para que as ideologias antiquadas e avarentas deles possam ter valor. Lei da mordaça, que nome estranho, nós queremos tirar a mordaça não só de nossas bocas, mas o véu que encobre quem somos e o que realmente pensamos, na verdade essa grande parcela é que está com a mordaça preparada para ocultar não só a voz, mas o cidadão diferente por inteiro, ridicularizando e impondo ideologias absurdas para que as pessoas se acomodem para não terem participação nem voz.
Depois de lerem este texto eu espero que consigam ver quem está te manipulando, comparem ações desses fanáticos que se julgam cristãos as de quem eles duramente criticam, seja justo e pese as palavras dessas pessoas sem escrúpulos, seja cristão e enxergue o amor que muitos dos criticado tem em relação ao próximo e o ódio e desprezo que esses alienados têm por nós, seja humano e tente entender que esses raivosos são nada menos do que irracionais incompreendidos e que nós tentamos entender qualquer situação, pois sempre vivemos sobre as mais brutais, a desvalorização, o desreipeto e o exílio de nós mesmos.

Heliaz dos Santos Shauon.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Descubro-te!




Nem que se pense ao contrário ou se julgue de menos, mesmo que não haja sombra do provável, as suas evidências marcaram.
Mesmo que a nuvem da incerteza me envolva ou o alheio parece evidenciar-se, até se o mundo disser o contrário eu sei que as minhas imagens estão cravadas em você.
Eu já me arrependi de não acreditar em mim mesmo, de não dar créditos ao que eu pensava ou sentia, por isso ainda que de sua boca saia o contrário do que sinto, se disserem que eu deva seguir algo que na realidade não me satisfaz não adianta, o crédito de dar certo, de obter êxito ou de fracassar será todo de minha intuição.
O meu peito é ferido por vários sentimentos, minha mente é embargada por emoções estranhas, sinto o que a pessoa sente e posso agradecer, pois fui dotado de uma façanha genial.
Por isso sou convicto de que seu sentimento ainda não morreu, vejo através dos seus olhos, sinto o seu coração pulsar, ainda consigo enxergar que você me ama, não quero você de volta, não por não te amar, pois ainda te amo, mas quem deve partilhar este sentimento lindo, quem deverá tomar a decisão do que é Certo ou do que lhe convém, quem dirá que teremos futuro é você, foi incumbido o direito de abrir meu coração a você, então veja bem o que irá fazer antes que outra pessoa lhe roube a chave e sele os meus sentimentos ao dela, pois a unificação de seres é bela e só é dada para quem tem o compromisso de brotar em meio ao nada o néctar do amor.

Heliaz dos Santos Shauon

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Singularidade.


O diferente não me convém, muito menos o convencional. Sou do jeito único, e ser único é ser singular. Muitos são diferentes, poucos singulares existem.
O singular não está relacionado a ser bizarro, tampouco é inspiração. Não é ser o tradicional.
Singularidade é você ser uma pessoa única de estilo, crença e atitude, não conseguir enxergar você nos outros ou quando tenta enxergar se decepciona.
Sentimentos que não são expressados por nenhum meio, coisas que só você sonha ou descobre não tem meios de serem passados além e isso é uma trama da originalidade, criou barreiras para que um tesouro não vire coisas fúteis, sem valor.
Sinceramente não posso dizer que você seja singular, talvez você possa fazer o teste. Olhe em tudo a sua volta, veja ao seu redor seus pertences, tente descobrir se eles te agradam mesmo. Imagine todos seus amigos, veja se você não é um protótipo de tudo o que eles são.
Se coincidir com você, se você gosta de modinhas e de seguir tendências, se você ama o que os outros falam sem se importar para o seu ser, infelizmente você é um alienado, mas não se preocupe, alienação tem cura, com uma boa dosagem de bom senso e originalidade você estará são, de ouvido ao que o seu EU diz, para de calar-lo e viva ele. Veja que ser você é ser normal, você só está de bem consigo mesmo e isso basta, esquece o que os alienados dizem e veja que em seu futuro tem pessoas que lhe farão bem, não irão ter semelhança com você, mas terão uma interação de equilíbrio.
Singular é o EU em estado de paz, dotado de confiança e firmado em uma personalidade que ninguém mais tem, este tesouro foi reservado a você, pegue-o, não seja diferente, mas simplesmente único

Heliaz dos Santos Shauon.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Diga NÃO ao preconceito!


Antes de julgar, tente entender.
Antes de agredir, pense no estrago.
Pessoas agora estão te manipulando para que a vontade alheia seja posta em sua mente. Você busca um ideal e tenta acreditar em algo, é eu sei como é isto. Posso te garantir que você teve mais sorte do que eu. Você já foi considerado aberração? Tentava ser alguém, ou pior, mostrava ser diferente para os demais tentando inutilmente se enganar? Se você não se encaixa nessas situações pode ter certeza, você foi bem aceito. Por quê? Porque não rompeu a normalidade, o habitual, que é imposto por grandes líderes.
Mas eu tenho uma mensagem para todas as grandes autoridades religiosas e políticas, um dia vocês tiveram que pagar um preço para estar onde estão, tiveram que sofrer e muitos dos seus tiveram que sacrificar-se para que vocês falassem livremente, e incrivelmente estão de novo calando a boca de mais um grupo que age e pensa diferente de vocês, como a mente de vocês são mesquinha e fraca! Jesus tem prazer em presenciar os crimes que vocês cometem todo dia quando impõe mentiras, informações infundadas? Dimanam o ódio entre as pessoas ao proferir palavras preconceituosas, para quê? Impor a sua vontade, e não a de Deus.
Mas acreditem, eu creio em um mundo igualitário e pacífico, queira vocês ou não, todo o sofrimento que sofremos hoje refletirá em liberdade amanhã. Muitos dos nossos já foram dizimados por pessoas influenciadas por vocês, ao invés de pregarem o amor estão espalhando a intriga, o ódio.
Pense bem, preguem o que acham certo, mas limitem-se quando falam de uma coisa que nunca vivenciaram, para que milhares de almas que acreditam no amor de Cristo não sejam apagadas como a minha já foi!

Heliaz dos Santos Shauon.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

De criados a quase Criadores


... A natureza se revolta, o ciclo da nossa vida acaba em sua fúria...

Ela é grande, é suprema, é nossa mãe. Construiu a nossa casa, fez fluir das cinzas, do fogo, do quase nada tudo o que nos rodeia. Ela é quem guarda a chave do equilíbrio, que observa nossos passos, que determina limites. Ótimo tocar nesta palavra, limite, o que o ser humano perdeu com o passar dos dois milhões de anos*, deu seus grandes passos na evolução, domina tudo que criado foi naturalmente, subiu no penúltimo degrau da escada da soberba e do egoísmo e está a um minuto de conseguir sua proeza final, debelar sua mãe, tentar realmente laçar e reprimir quem o criou.

Podemos literalmente comparar os seres humanos e a natureza como mãe e filhos, filhos rebeldes, que não tem o senso da gratidão. Todavia a mãe é muito tolerante e advertiu várias vezes a sua cria, primeiro mostrando do que suas criações ousadas são capazes de fazer, isso sem reagir. Viu que não poderia mudar o comportamento e resolveu interferir para introduzir nas mentes mesquinhas dos mortais que o caminho tomado é errado, e que devemos ter cautela. Porém ainda não nos fazemos de rogado e persistimos no erro. Mãe Natureza não ficou contente, mas sua cólera involuntária acabou dissipando alguns de sua prole. Não aceitando aquilo, não perdoando o ato inconsciente de sua mãe, os seus amados filhos se viraram contra ela, acabou com a casa que ela carinhosamente construiu, o equilíbrio que reinava sobre tudo foi lentamente sumindo e de repente a mãe Natureza viu o que acontecia: o mundo inteiramente dado a seus favoritos estava devastado, e, além disso, ela pode ver nos olhos já não inocentes, mas sombrio e cheio de ódio e rancor o que eles almejavam mais, queriam controlar e tomar o poder d’a Grande, da que tudo fez, e assim sem avisar e sem compaixão, a mãe fez o que era melhor, descartou suas criaturas para que o que havia para ser criado não fosse destruído.

... A natureza cria, o ciclo torna-se de novo uma esperança, uma expectativa de que seja melhorado aquilo que outrora não fora...

Olhe bem e veja, estamos rumando para o caminho errado, somos tão fúteis em nos preocupar com coisas simples ou inúteis que esquecemos o que realmente importa, talvez não somos perfeitos o suficiente para estarmos aqui, não passamos no teste de qualidade da mãe Natureza ou ainda temos uma chance de nos arrependermos de nossos erros e mudarmos o que ilícito foi feito. Tudo depende de nós, mas ainda necessitamos da compaixão d’a Grande gênio que criou tudo o que nos rodeia, que fez de nós tudo que somos, pois ela está na folha da planta de sua casa, está na formiga que você ignora e antes de tudo, ela está em você e realmente é você, ela só é o reflexo do que somos hoje e é as nossas atitudes agora que mudará o que ela será amanhã.

Heliaz dos Santos Shauon.

*O ser humano existe a mais ou menos há dois milhões de anos, dado tirado da obra “Uma Breve História do Mundo”, de Geofrey Blainey.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Casamento


Certo de que reflitam, escrevo este texto.

Um tanto delicado de compreender e de vivenciar, o casamento é uma virtude que é dada para união, é a junção de dois seres, e o ajuntamento de dois espíritos dispostos a se tornar um só existir.

Claro que em todo existir há defeitos, e neste caso não podia ser diferente. Contradição, desentendimento, confusões, ciúmes e a vilã de todo relacionamento, a rotina. Sempre exigimos coisas novas e quando somos forçados a viver por hábitos ou afazeres repetitivos a tendência é se entristecer e entediar-se.

Mas isso não é nada comparado ao que existe de bom em um casamento. A vida se torna única e o vivenciar é igual para os dois. Momentos especiais são vividos a dois, lugares são vistos a quatro olhos e o amor se torna um.

A maior dádiva é os frutos desta junção de seres, pessoas que irão fazer história estão para nascer, grandes nomes da literatura, da ciência ou do estrelato poderão surgir, pessoas de caráter firme ingressar-se-ão, tudo através daquele pequeno momento mágico, que durou um dia ou quem sabe menos, contudo perdurou a vida toda, esperamos.

Este dia é único, estas horas são para ser vividas intensamente, o beijo é para ser inesquecível e o amor que os uniu é para adornar esta nova vida, um recomeço para os corações árduos que esperaram até aqui para serem atados nestas simples alianças que em seus dedos é representado.

Vivendo os simples momentos da vida creio eu que irão conseguir o mundo inteiro, não em sua matéria, mas em sua essência, pois na simplicidade é encontrado o verdadeiro significado de viver.

Parabéns por este lindo matrimônio e que Jesus venha unificar este sentimento que os uniu e que unirá para sempre suas vidas, que o amor dele venha banhar esta pequena semente de ternura que é plantada em suas almas para que prossiga todo carinho, lealdade e AMOR que em vocês foram confiados.

Felicidades...

Heliaz dos Santos Shauon.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Para as estrelas nos encontrar. (Música)

Muitas Perguntas sobre você

Como um enigma sem saída.

Preso, tento te encontrar.

Preciso muito de minha vida.


Ouço a voz Me chamando na escuridão.

Em meio à solidão.

Vou de encontro procurando a solução.

Preciso de ti então.


Um só beijo seu.

Um toque para sentir o céu.

Para as estrelas nos encontrar.


Olhos em seu olhos, toco seu rosto.

E emoções me invadem.

Pensamentos voejam longe.

E Contigo faço uma viagem.


Ouço a voz Me chamando na escuridão.

Em meio à solidão.

Vou de encontro procurando a solução.

Preciso de ti então.


Um só beijo seu.

Um toque para sentir o céu.

Para as estrelas nos encontrar.


Sorte é te ver.

E ter o seu amor sobre o meu ser.

Para de novo me apaixonar.


Heliaz dos Santos Shauon.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Cinzas ao vento.


Cadê você? Estou ainda aqui, onde me disse para esperar tentando não te esquecer. Lembro do que disse, ”não se esqueça de mim, eu ainda voltarei”, mas sei que foi uma mentira, contudo ainda me recuso acreditar nesta verdade que cada vez se torna mais gritante.

O Sol começa a queimar-me, minha pele avermelha-se, meu cabelo começa a clarear queimando-se aos raios de fogo. Eu, uma figura solitária, sentado numa pedra em meio a uma pradaria gigantesca esperando por você, se não fosse tão triste poderia ser cômico.

O vento tenta me tirar dali. Sopra arrastando tudo, mas continuo estacado certo de que você virá.

Que ingenuidade a minha em pensar que me amaria a ponto de se importar comigo, luxúria vangloriar-me de possuir seu coração, por isso o resultado desse pecado foi essa situação, você me esqueceu e eu ainda ardo, não pelo efeito carbonizante do Sol, mas por te desejar, te por acima de tudo e de todos, por ser corroído por um amor não correspondido que me destrói e lança as minhas cinzas ao vento.

Heliaz dos Santos Shauon.

domingo, 22 de agosto de 2010

Verdadeira face de Jesus.


Eu cresci em um molde, com o passar dos anos pude ver quem sou eu e quem querem que eu seja.
Talvez por eu ser sensível de mais, com sede de aprender e de seguir algo correto, introduziram em minha mente algo que achavam correto, um ser perfeito. Grande aliada nessa batalha para me matar foram regras absurdas que as pessoas julgam ter saído da própria bíblia, me sufocando e me distanciando da imagem divina e serena de Jesus. Grande similaridade encontrei entre o “Jesus” que pregavam e o seu inimigo, pois sempre devemos pagar um preço para seguir ambos. Também não digo que ao segui-lo iremos encontrar o mundo perfeito, mas parando e analisando eu vi a verdadeira face de Jesus, um ser amoroso, com a misericórdia e compaixão infinitamente grande, na verdade ilimitada, que está pronto a nos olhar a hora e o lugar em que precisamos.
As mudanças, pessoas dizem, devem ocorrer nos vestuários, hábitos e modos. Claro que sempre devemos olhar o que é certo e errado e o que Jesus espera de nós, porém está ao meu conhecimento que ele precisa de nós de verdade, ele tem que ver o quanto respeitamos nossos similares, o quanto fazemos pelos outros e o quanto buscamos a Ele.
Por isso eu deixo um conselho a todos cristãos, e especialmente aos fanáticos, observe bem seu irmão, tente ver além do que ele veste ou de onde ele é, ou até mesmo do que ele é, tente ver a pessoa que existe de verdade e não se ele está de terno ou de saia, veja e aprenda a reconhecer que Jesus está em quem lhe dá espaço, por isso antes de julgar diga a ele para dar espaço a Jesus, que ele verá a diferença na sua vida, não esteticamente, mas na maneira de olhar e de reconhecer as pessoas na visão do amor divino.


Heliaz dos Santos Shauon

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Ser Intocável.


Esse som que chega aos meus ouvidos e que logo é contemplado pelo cérebro se chama música.
Ela é uma fiel companheira, em momentos de alegria, tristeza, paixão, vivacidade, ternura, ódio ela está comigo, nunca me desampara e sempre tem o jeito certo de me aconselhar.
Vozes entoadas por milhões se mistura por um turbilhão de sons criados pelos mais variados instrumentos, como minha alma agradece, minha criatividade e imaginação voejam longe e traz na escrita os sons. Sinto-me um tradutor, simplesmente um servo desse ser inexplicável que ao mesmo tempo é amigo, senhor e uma singela combinação de sons.
A minha trilha sonora e feita pela música, todo meu ser entoa música, ao meu redor basicamente o ponto vigente de tudo é a música, por isso me sinto lisonjeado de escrever sobre sua magnitude e vital importância, não só para mim, mas para milhares de pessoas que se rendem ao poder inigualável desse simples ser intocável, porém sentido.

Heliaz dos Santos Shauon.

Alma sonhadora.


Construímos castelos, fortaleza, somos rodeados por jóias e coisas raras, cuidamos com zelo, com apresso, com amor, com carinho. Mas sempre vem o ódio e nos derruba, estraçalha nossos sonhos, destrói nossa fé, humilha-nos levando ao pó.

Pessoas dominadas pela ira e incompreensão não tem limites e não respeita os limites dos outros, não sabem ver que cada pessoa tem seus desejos, seus defeitos, qualidades, sonhos. Esses seres geralmente não percebem, mas a cada atitude rude matam uma parte de uma alma sonhadora, de uma alma que almeja liberdade e que simplesmente deseja a PAZ.

Heliaz dos Santos Shauon.

Paradoxo


Uma felicidade que jorra em meu peito, uma confiança e alegria que não existia no passado.
Uma tristeza já conhecida se intensifica, perfura como nunca perfurou, machuca a alma, derruba minhas defesas.
A conquista, a oportunidade nova, a porta que nunca se soube o que havia atrás se abre, mostra a beleza, o encantado, o paraíso.
O medo, a mancha escura que se alastra sem dó nem piedade, o câncer do remorso corrói as últimas forças.
A sensação de levitação, as coisas fluem, a vida muda, a visão muda, uma coisa inexplicável domina, uma droga sem efeitos colaterais, um, talvez, final feliz.
A solidão, o desamparo que nos leva ao desespero, um final de amargura, um final de sofrimento.
São poucas pessoas que passam por isso, são poucos que já vivenciaram esta situação, tomara que o final desta história seja merecedora de um final feliz, não como os de conto de fadas, mas com a felicidade de vivenciar o que realmente se sente, de não sofrer de um mal chamado Paradoxo.

Heliaz dos Santos Shauon.

Sonho realista.


Há alguém, eu sei que há uma pessoa pensando em mim e eu penso nela. Mesmo ela não sabendo da minha existência ela sabe que eu existo (paradoxo) e vice-versa.

Pego carona com as asas do pensamento e viajo numa expedição sem fim em busca do meu completar, nuvens passam por minha face deixando à molhada. As árvores logo se transformam em matas que passam para florestas e decorrente viram campos gigantescos. Logo avisto no horizonte a aurora do amor indicando o caminho, pra onde devo ir. Aquelas luzes ingressam em meu coração e logo dimanam em forma da pessoa esperada, uma imagem disforme, só uma vaga impressão para saber exatamente quem é. O vento da criatividade ainda me sustenta e é guiado pela claridade espectral da afeição, logo ouço a voz soar e dizer “cá estou, desça”.

Que lindo seria se esse sonho fosse realidade, melhor ainda seria ter a existência do lugar em que nos conhecemos na aspiração, aquele bosque rodeado de árvores alvas, suas folham nos rodeiam pelo poder da brisa leve, a grama vermelha simboliza o sofrimento que agora está no devido lugar, aos nossos pés, tudo o que foi dito, seja verídico ou inventado para nos atacar, foi quebrado e isso não passam de cinzas perfumadas, que alimenta o nosso viver.

Amo-te, sempre te amarei, mesmo que não posso ver-te, mas muito breve esse dia chegará e poderemos mergulhar neste sonho de mãos dadas e desfrutar do verdadeiro amor que nos uniu mesmo com a interferência da saudade, das brigas e da distância.

Anjo do meu viver, luz do meu ser, mais que você não há, por isso digo para ti e a todos, não importa as conseqüências ou circunstâncias, eu sempre irei te AMAR.

Heliaz dos Santos Shauon.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Ziguezaguear


O acaso não é acaso se não tiver um caso. O fracasso não é fracasso se não conhecer o sucesso. A felicidade só torna felicidade com o abandono da tristeza. Linhas ziguizagueiam caminhos, nem sempre entendemos, mas rumos são tomados para aprendizado, pois só crescemos quando aprendemos e só aprendemos vivendo, vivemos para um objetivo e o objetivo existe para ser um ideal, o ideal não é nada mais do que um motivo de vida e a vida não passa da ausência da morte.
A vida, algo frágil, às vezes olho no espelho e tenho crises de existências, por que eu sou eu? Como é ser outro ser? Me toco, eu vivo em mim, mas às vezes nem acredito que eu possa ser eu. Pergunta da minha existência não param de fluir em minha mente, grande genialidade ou burrice da vida permitir que a minha essência venha a ser alguém. Complicado ou não, interprete como quiser, porque a interpretação nada mais é do que entender e consequência deste é compreender, contudo ainda não chegará a resposta, pois nem tudo pode ser respondido, nem mesmo o simples viver e saber o que realmente sou.

Heliaz dos Santos Shauon.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Infinitamente definido


“Não se defina para não ser limitado”, eu sempre ouço essa frase, eu acreditei assim por muito tempo, mas parando bem e fazendo uma análise o Universo não é feito de definições? O universo nada mais é do que a definição básica de um infinito espaço que abriga as mais incontáveis estrelas, astros, planetas, etc. E seguindo o universo tudo o que está a nossa volta está empregado em uma definição, é o jeito que os humanos encontraram de entender as coisas. Negando definições você está negando o próprio saber, a sua própria forma de entender as mais diversas atitudes, situações, pessoas, condições, modos, costumes, etc.

Seja como o ilimitado universo, definido, mas imensamente repleto de definições.

Heliaz dos Santos Shauon.

Memórias de um fracassado amor.


Ainda choro por você, ainda me imagino com minha cabeça ao seu colo, lugares alegres como parques de diversões, paisagem paradisíacas, praias, vejo eu e você em fotos com sorrisos hílares.
Como a pessoa que você mostrava ser era linda, perfeita, seu toque é inesquecível, meu Deus quanta coisa queria escrever sobre você.
Sempre mostrava para os outros seu jeito firme, mas eu via você de verdade, eu via que você ansiava por carinho, queria afeto, lembra quando eu te abraçava? Suas mãos escorregavam e eu tratava de pô-las no devido lugar (risos). Como eram lindos aqueles momentos que somente eu e você compartilhávamos. Ali sim você se soltava e a ternura mudava sua feição, toda a minha preocupação se ia, pois você era a única coisa que me importava.
Mas um dia o achar falou alto, e você olhou para o que valia para os outros, não conseguiu mais enxergar o amor que me unia a você, e de repente tudo abalou.

- Quero terminar, sei que te amo, porém não me vejo contigo para o resto de minha vida.

Essa frase me marcou até hoje, o que era lindo se tornou feio, o que era alegre se tornou triste, as pessoas que me rodeavam eram monstros e tudo eram lágrimas.
Eu vi sua mão escorregando da minha e de repente caía em um anômalo poço, viscoso, grudento e escuro, eu pedia socorro pra você, gritava seu nome, e você? Estava ocupado demais procurando um novo amor, amor convencional, mesmo assim eu me vi bem-aventurado, pois nada me faria mais feliz do que a sua felicidade independente de como ou com quem você estivesse. Se isso não for loucura é amor, e sendo assim a única coisa que quero te dizer antes de te abandonar é: Um dia eu te amei.

Heliaz dos Santos Shauon.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Nada sou


E venho eu de novo, desabafar com palavras escritas o que sinto já que ninguém me entenderia por meio do falar.
O Eu, como é difícel me entender, labirintos cruzam meu destino, minha vida é cheia de porquês, pecados e inseguranças. Tento ser uma coisa, mas logo sou outra, nada tem haver com a pessoa que sou em si, todavia hábitos e gostos são mudados constantemente, teses e teorias são recicladas a cada dia e uma luta incansável contra mim mesmo é travada.
A guerra interior me destrói por fora, me debilita, quase sempre o sono é uma solução para mim, meu corpo fica tão cansado da minha mente que se esgota. Isso realmente deveria estar acontecendo comigo? Questões tão fáceis são postas como horrendas, como tabus e caminhos sem saída se formam para mim.
Em uma sala branca, sem portas nem janelas, apenas eu e EU. Logo se apagam as luzes e meus olhos se acendem como um retroprojetor mostrando a mim mesmo quem sou. Mas como saber quem sou se sou tantos? Sou aquele menino que procura o rio de chocolate, árvores coloridas e nuvens de algodão-doce. Sou aquele moço rebelde, que enegrece seu visual e que cabelo comprido lhe cai bem. Sou aquele homem que procura alguém sério, que pretende construir seu caráter e ama o sossego. Sou aquela pessoa que se comove, se envolve com as pessoas e que cria laços de amizades intensos. Sou aquele ser pentágono. Sou aquele que acredita nos outros, aquele que ama sua pátria, aquele apaixonado por música, que tem o bobo jeito de ser, que ri do nada e de nada, aquele que busca o bem estético, aquele que você vê e não enxerga, aquele que segue o que os outros dizem ou que faz o contrário para ver as reações, aquilo tudo e mais um pouco de exatamente nada.

Heliaz dos Santos Shauon

Talvez tenha sido um sonho


Talvez seja um sonho em que eu fui feliz. A distância do tempo não me permite perceber que foi recente, o quente sabor de sua boca parece que foi a um passado longe que experimentei, ou ser uma lembrança furtada de outra pessoa.
O calor corporal que emanava de nossos corpos não existe mais, claro que é pela distância, mas a verdade é que eu não consigo acreditar que irá acontecer novamente.
O ar parecia ser pouco, o movimento dançante do lugar passava despercebido, nada tinha haver conosco, tudo era muito alheio para dar qualquer atenção.
Sussurros e carícias que eram trocados não foram esquecidos, os momentos íntimos ainda estão cravados ao cérebro, não há um dia que não pense, existe ainda uma esperança de que isso vá acontecer novamente, mas o realismo não para de bater em meu coração e dizer:
- “Foi só um sonho”.

Heliaz dos Santos Oliveira.

Seduz-me


Cabelos encaracolados descem por sua face e lhe caem até os ombros. Olhos cor de mel têm um brilho diferente, a sedução reside neles e é impossível não se atrair. Essa voz que me alicia queria ouvir bem de pertinho, cantarolando meu nome com direito a pausa a cada sílaba.
Boca perfeita, lábios macios, língua envolvente, um imã me deixa preso a ela, não tenho culpa se você é tão fascinante.
O corpo sem descrição possível é no mínimo celestial, resplandecente.
Pessoa linda, o carisma enlaça, o sorriso trás alegria, o simples respirar é um gesto magnífico.
Só posso agradecer, não por ter você, mas sonhar todo dia contigo é um privilégio imensurável.

Heliaz dos Santos Shauon.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

O existir do universo é inexplicável!


O universo. É tão difícil descrever o universo. Já virou para baixo e ficou olhando muito tempo para o céu? Com o tempo da uma sensação de angústia, parece que estamos indo a um abismo. Podemos dizer que ele é um abismo, um ser enigmático sem fim.
O ser - humano em sua soberba tenta estudá-lo, para se provar, isso é natural da nossa raça, mas nós não entendemos que o que conhecemos em relação ao universo é mínimo ao que ele é realmente, ao que ele possui. Os segredos que ele acha que é compreensível para nós ele nos mostra, mas somos medíocres não merecemos conhecer nada, só coisas que são insignificantes.
A beleza celestial é tão terna, nos acolhe, nos envolve em seu manto estelar.
Talvez Deus e o universo seja a mesma coisa, é um “existir” sem princípio nem fim, o ser humano ainda tenta descobrir como surgiu o universo, mas ele não alcançará esta resposta enquanto o universo não ceder.
O universo, o magnífico, o Grande, Supremo. Buracos negros sãos seus tesouros, as galáxias suas filhas e nós diante disso tudo não somos nada, então por que tentar entender algo tão supremo? Não a nada de errado em buscar respostas, mas se tratando do universo ele ainda se descobre, ele ainda se deslumbra com o que ele criou e na hora certa ele dirá o que nós precisamos saber.
O existir do universo é inexplicável!

Heliaz dos Santos Shauon.

De falsidade a exemplos de simplicidade.


O poder de seduzir com certeza não me atinge, a insensibilidade é um mal que não me alcança.
Talvez, o que sinto pelos outros é maior do que eles já me fizeram e é por isso que sei entender que as pessoas machucam para serem machucadas, a vontade de se provar e provar a dor é muito forte, mesmo que inconscientemente, a pessoa busca esse “prazer”.
A dramaturgia nasceu com o ser humano e é tão comum encontrar pessoas que se fazem, ou seja, são aquilo que não são, fazem isso para contar vantagem ou para suprir seu ego, coisas que não passam de mentiras.
Como é estranho, o ser humano a cada dia fica mais irracional e os animais tomam seus espaços e mostram quão são generosos. É só prestar atenção em um olhar triste de um cão, no carinho dos gatos, na proteção da mãe macaco, na fidelidade de um João-de-barro, na união de um grupo de antílope, na coragem de um leão, na memória de um elefante, na diversão de um golfinho, na luta de um urso-polar, na sensibilidade de um hamster, na agilidade de um guepardo ou na tranformção de uma borboleta. São exemplos que a natureza nos dá e que há tempos devem ser observados e aprendidos por nós, pois esquecemos da simplicidade de ser natural para nos tornamos fúteis e ignorantes perante o vasto reino animal.

Heliaz dos Santos Shauon.

Blogger news